sábado, 29 de novembro de 2008

Treze Poetas - Paulo Almeida

Paulo Almeida, poeta tardio, obcecado e um tanto melancólico. Dado a extravasos, excessos, extravios e pensamentos vagos. Tudo sob uma capa de aparente normalidade. Respira como se de fato existisse. Não sabe mais o que sabia, às vezes intui e escreve e nomeia

Um comentário:

joanadarc disse...

O maravilhoso poeta Paulo Almeida, cria seus textos inspirados em crianças, moças e adolescentes...Descreve seus devaneios pedófilos em versos e recita-os em abuso!http://imageshack.us/photo/my-images/9/imagemvqp.png/